Vereador cabo Amintas critica postura do prefeito  Edvaldo Nogueira com aliados e afirma: “usa, massacra e joga fora”

O vereador Cabo Amintas (PTB) utilizou a Tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) na manhã de ontem, 4, para comentar a mudança na vice-liderança da Situação na Casa Legislativa e manifestar solidariedade ao também vereador Thiaguinho Batalha (PMB), pela maneira como o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) o substituiu no vice-comando da base.

“O senhor foi vice-líder do prefeito nessa Casa, fez um trabalho muito bem feito, defendeu projetos polêmicos, defendeu o indefensável, muitas vezes. Quando vi ele [Thiaguinho] sendo retirado da vice-liderança sem nem uma conversa… Nada contra o novo vice-líder, que é meu amigo pessoal, o vereador Seu Marcos. Mas eu não estou entendendo essa confusão. Uma vez criticaram dizendo que a oposição estava perdida aqui. Em maior número, a perdição da situação é maior”, alfinetou.

Justificando sua saída, Thiaguinho Batalha explicou as questões éticas que impossibilitavam a acumulação da presidência em exercício de sessões na Casa Legislativa e seu lugar cativo como um dos líderes da situação. Mas ainda assim, lamentou a maneira como saiu da posição.

“Para conduzir de uma forma ética os trabalhos aqui nessa Casa, já sabíamos que deveríamos abdicar da vice-liderança. Assim podemos presidir de forma imparcial. […] Mas eu quero aqui concordar com a sua fala. Mesmo que eu fosse abdicar, tudo é uma forma de diálogo, tudo é uma forma de elegância, tudo é uma forma de conversa. Esperávamos anunciar de forma conjunta”, declarou.

O Grande Expediente foi recheado de comentários dos parlamentares da Casa. Anderson de Tuca (PRTB), Elber Batalha (PSB), Emília Corrêa (Patriota), Zezinho do Bugio (PTB) foram alguns dos que falaram. “Ele [Edvaldo] usa e descarta. Ele usa e joga no lixo. No lixo, no lixo! Não é assim que se trata um colega, uma pessoa! Se trata com respeito, com consideração”, declarou Emília.

Entre as falas mais importantes, o vereador Elber Batalha relacionou o tratamento de Edvaldo ao ex-aliado Mendonça Prado com a situação vivida pelo agora ex-vice-líder Thiaguinho Batalha.

“Queria que os senhores façam comigo uma reflexão. Vejam os pronunciamentos e atitudes de Edvaldo Nogueira com Mendonça  Prado. Ele usou de Mendonça para fazer todo aquele processo que gerou a ‘Operação Babel’. Depois ele descartou Mendonça como se fosse um leproso. Vejam o que disse o ex-secretário da Saúde, André Sotero, que não foi diferente. Vejam o que disse Lucimara Passos, que se desfiliou do PCdoB dizendo que não estava sendo tratada com respeito. É uma história que se repete!”, explicou.

Elber ainda ressaltou que a escolha de Edvaldo por Seu Marcos (PHS) como novo vice-líder, aconteceu, entre outras coisas, porque o parlamentar é presidente da Comissão de Saúde. Não por acaso, a Comissão que mais deu trabalho ao gestor municipal.

Seu Marcos garantiu que continuaria sendo coerente e que a nova posição não interferiria em sua conduta na Casa Legislativa. Mesmo assim, ao final de seu aparte, falou que a vice-liderança já havia sido mudada antes, sem polêmica. E acrescentou, “o bom cabrito não berra, nem faz discurso de explanação. Nem contra, nem a favor”.

Amintas no pouco tempo que lhe restava, relacionou a frase de Seu Marcos à fala de Thiaguinho Batalha, que concordou com o discurso do militar logo no início do Grande Expediente.

“Na hora de chamar é no gabinete, no ar-condicionado, tomando um cafezinho ostentação. Mas na hora de dispensar… Senhores, prestem atenção com o que Edvaldo Nogueira faz com os seus aliados. O maior exemplo disso foi dado pelo vereador Elber Batalha. Mendonça Prado foi usado até onde serviu. Quando não servirem mais, podem esquecer o número de telefone de Edvaldo Nogueira, senhores, porque ele não atende mais. Usa, massacra e joga fora a alma dos senhores!”, arrematou.

Fonte e foto assessoria