Conecte-se conosco

Investigação

“Saímos de forma abrupta, sem justificativa”, diz delegada que investigou políticos corruptos

Publicado

no dia


Após a Operação Babel ter desmascarado a falcatrua da empresa Torre, hoje responsável pela coleta de lixo após ter vencido a licitação, Danielle, o secretário e o chefe de polícia foram exonerados do cargo.

Na imprensa, à época, o que mais se comentou foi a interceptação telefônica entre político e o dono da Torre, às vésperas da eleição.

Na última terça-feira (05/06), os delegados Danielle e Gabriel, que faziam parte do Deotap, prestaram depoimento na Câmara de Vereadores. Danielle demonstrou frustração e queria prosseguir no combate à corrupção, mas foi exonerada de forma abrupta e sem nenhuma justificativa.

No depoimento prestado na Câmara, Danielle esperava falar sobre as investigações de 2017, que resultaram na interceptação telefônica, mas os vereadores limitaram os questionamentos sobre os anos de 2010 a 2016. “Depois da operação Babel, não só o secretário de segurança e o chefe de polícia foram exonerados do cargo, quanto eu logo em seguida. Não sei se existe alguma relação, mas o fato é que hoje tenho que cuidar dos crimes na Barra dos Coqueiros e quem está à frente da Deotap ou da Secretaria de Segurança Pública que cuide destas questões de corrupção. Nós nos especializamos nesta área e saímos de forma abrupta, sem uma justificativa, na nossa opinião, plausível, mas essa questão diz respeito à administração”, comentou. (trecho retirado da Infonet)

Danielle foi exonerada e transferida para o Departamento de Narcóticos. Alguns meses depois foi transferida novamente para a delegacia da Barra dos Coqueiros, saindo de sua especialização, que é o combate à corrupção.

COMENTE!
Publicidade
Publicidade

Facebook